terça-feira, 13 de dezembro de 2016

SOBRE: ESTAÇÕES, ANIVERSÁRIO & VIDA



Mudaram as estações, nada mudou, mas eu sei que alguma coisa aconteceu. Tá tudo assim, tão diferente.

Essa é a canção que marca vários "fins" das nossas vidas, eu arriscaria dizer que é a música mais tocada em formaturas. E nada poderia estar mais correto do que isso, pois realmente, nada mudou, mas tudo fica assim ... tão diferente. 
Hoje é o meu aniversário e, de acordo com o registro geral, faço 21 anos. E já ouvi algumas vezes "eita, que hoje você fica um ano mais velha", mas não. Ninguém envelhece um ano inteiro de uma vez, é algo gradativo, não acontece em vinte e quatro horas, mas em trezentos e sessenta e cinco dias. Hoje eu estou um dia mais velha do que ontem, um dia mais nova do que amanhã. 

Se lembra quando a gente chegou um dia a acreditar que tudo era pra sempre, sem saber que o pra sempre, sempre, acaba.

Houve sim um tempo em que achei que as coisas durariam para sempre, que as pessoas ao meu lado seriam as mesmas de sempre, que eu seria a mesma de sempre e que estava tudo bem não mudar nunca. 
O engraçado é que em 2016, exceto pela família, meu círculo de conhecidos/amigos mudou completamente. minhas atividades mudaram, eu mudei e foi tudo muito bom. A gente se decepciona, claro. Como diziam os pensadores do Facebook, eu tenho o dom de colocar tudo no lugar errado: a embalagem do iogurte na pia, a colher no lixo, o achocolatado na geladeira e a expectativa nas pessoas. Mas eu acreditar que as pessoas vão estar ali comigo para sempre não é um problema delas, que elas precisem resolver, isso é um problema meu. Exclusivamente meu.

Este ano recebemos muitas notícias de mortes inesperadas. Estourei minha cota de velórios, enterros e hospitais. Percebi como a vida é algo sensível e como estava tratando a minha de forma rude, como se eu fosse partir dessa para melhor apenas quando quisesse. 
Poucos passeios permitem tanta reflexão quanto uma volta em um cemitério. Você conversa com uma pessoa semana passada e de repente ela já não está mais nesse mundo ... é bizarro. Sempre ouvimos um "era tão jovem", mas o que é ser jovem? Morrem bebês, crianças, adolescentes, jovens, adultos, pessoas de meia idade e idosos, brancos, negros e asiáticos, loiros, morenos, ruivos e grisalhos, homens, mulheres, heterossexuais, homossexuais, analfabetos, com ensino médio completo, graduados, mestrados, doutorados, ou no meio do caminho, pais, mães, filhos, filhas, netas, netos, pessoas doentes e pessoas completamente saudáveis. É incrível, todo mundo morre, basta estar vivo.

Mas nada vai conseguir mudar o que ficou. Quando penso em alguém só penso em você e aí então, estamos bem.

Mas se estamos aqui, se estou aqui fazendo vinte e um anos, é porque tinha que ser assim e apenas é. E sou muito grata por isso. Vida que segue, é o que dizem. Coloco Deus à frente dos meus dias e sei que assim estará tudo bem.

Mesmo com tantos motivos pra deixar tudo como está, nem desistir, nem tentar. Agora tanto faz. Estamos indo de volta pra casa.

Finalmente, um pouco mais experiente do que ontem, acredito já ter vivido o bastante para dizer que a essa altura do campeonato, nem desistir, nem tentar, agora realmente tanto faz. Agradar a todos não faz parte do plano, a gente só precisa completar nossa missão, para - finalmente - irmos de volta pra casa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...