Pular para o conteúdo principal

HOLI, FESTIVAL DAS CORES


    Yay! Vocês conhecem, ou pelo menos já ouviram falar do Holi? Também conhecido como Festival das Cores, ele acontece todos os anos na Índia para comemorar a chegada da primavera entre os meses de fevereiro e março. Além dos indianos, pessoas de outros países como Nepal, Suriname e Guiana também adotaram o festival hindu. 


    Lá na Índia funciona assim, na véspera, conhecida como Holika Dahan - a morte de Holika -, fogueiras são acesas para celebrar a memória de Prahlad. E o Holi em si é comemorado no dia de lua cheia do mês de Phalguna, que no nosso calendário é algum dia entre os meses de fevereiro e março, então as pessoas atiram pó de tinta e água uns nos outros e no final está todo mundo colorido. 
    A lenda de Prahlad é a seguinte: o temível Rei Hiranyakashyap, sendo muito vaidoso, queria que todos no seu reino o venerassem, mas seu filho, Prahlad, resolveu adorar outra entidade, Vishnu. Hiaranyakashyap - que nome difícil - então combinou com a sua irmã, Holika, que tinha o poder de não se queimar, que ela iria matar Prahlad entrando numa fogueira com ele em seus braços. O plano não deu certo porque Holika não sabia que a capacidade de enfrentar o fogo só era válida enquanto ela não entrasse acompanhada de outra pessoa. O deus Vishnu reconheceu a bondade e devoção de Prahlad e salvou-o. Com esse final feliz, o festival celebra a vitória do bem contra o mal e o triunfo da devoção.



    Esse sábado, dia 25 de novembro, acontece no Parque Ibirapuera o Holi Festival das Cores, começa ás dez da manhã, vai ter abertura, aula de yoga, meditação coletiva, dança e música indiana e coisitas mais. A participação é gratuita, mas se você quiser jogar tinta pode comprar o kit pelo site.
     Ah, o pó é biodegradável, a composição é a base de amido de milho, com corantes orgânicos e não oferece nenhum tipo de risco à saúde humana ou ambiental. Recomenda-se o uso de creme para evitar a absorção da tinta pela pele e óculos para evitar o contato direto com os olhos.

Comentários