quinta-feira, 27 de junho de 2013

CHIHAYAFURU


   Ao que tudo indica, eu realmente comecei a gostar dessas coisas. Vocês devem lembrar do meu recente primeiro post sobre o assunto, em que falei do anime Lovely Complex - muito amor. Oras pois, ontem eu terminei de assistir a primeira temporada de Chihayafuru. E apesar de ter esperado vinte e cinco episódios por uma coisa que não aconteceu ... eu vim recomendá-lo para vocês, enquanto me seguro para não engolir de uma vez a segunda temporada.

    Escrito por Yuki Suetsugu, Chihayafuru conta a história de Chiahaya Ayase, uma garota que passou a maior parte de sua vida torcendo pela carreira de modelo da irmã. Mas isso muda quando ela conhece Arata Wataya, um jogador de Karuta que sonha em seguir os passos do avô e se tornar um Mestre no jogo e que acredita também no talento de Chihaya e na sua capacidade de se tornar uma Rainha. Então Arata, Chiahaya e Taichi - Mashima, melhor amigo de Ayase - passam a jogar Karuta juntos e prometem fazer isso para sempre, até que eles crescem e acabam se separando por motivos pessoais. 


    No colegial, Taichi volta a estudar junto com Chihaya, a única que não parou de treinar seu Karuta até então. Decidem ir atrás de Arata que havia se mudado para outra cidade, mas as notícias não são tão boas. Os dois formam um clube para praticar no colégio e passam a participar de disputas importantes, junto com os outros membros do clube. 


  Cheia de encontros e desencontros, se é que podemos dizer assim, a primeira temporada de Chihayafuru é incrível. Tanto a perfeição do desenho, quanto o enredo me surpreenderam. Gostei tanto de Karuta que pensei que seria impossível que alguém pudesse desenhar tão bem e ainda pensar em algo tão complexo, cem poemas, regras, histórias ... sei lá. Fui pesquisar e descobri que já joguei um tipo de Karuta muitas vezes na minha vida ... o jogo da memória. Sim, fiquei chocada. Porém o tipo mais popular que existe é justamente o que aparece em Chihayafuru. Conhecido por Isshu Hyakunin é um subgênero do Uta Garuta. Criado no século 13, por Fujiwara no Teika, nele existem 100 cartas com poemas, cada um escrito por um poeta famoso. O jogador deve decorará-los para que, quando o poema começar a ser recitado, eles consigam pegar a carta antes do adversário. Emocionante. 

   Bom enfim, eu ainda sou muito ruim em escrever resenhas, porque sinto vontade de contar tudo. Mas me deem dicas, deixem comentários, assistam e me falem sobre o ponto de vista de vocês ... eu quero saber! ~ Ah, só mais uma coisa: O Taichi simplesmente não pode existir... ele é tão fofo         (´∀`)♡*:.。. .。.:*


Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...